Este mês decidimos fazer uma entrevista à Reeh, uma das maiores streamers actualmente dentro dos Grow uP eSports, com já bastante tempo de casa. Streama principalmente CS: GO, mas também a podem encontrar a jogar outros jogos, como PUBG ou GTA V. Esperamos que com esta entrevista a passem a conhecê-la melhor, e também como é ser uma streamer num país como o Brasil.
P: Fala-nos um pouco sobre ti.
R: Bom, meu nome é Renata Bagnato, tenho 20 anos, sou do interior de São Paulo, aqui no Brasil, um pouco longe dos uP hahah é sempre muito difícil falar de mim, porque nunca sei bem o que devo falar.

P: O que te levou a streamar?
R: Na verdade, eu comecei a streamar por “brincadeira”. Um amigo meu quem falou “Reeh, porque você não faz live? é super legal” aí eu comecei a pesquisar mais, ir atrás da ideia de realmente ser streamer. Depois de um ano e pouquinho, eu pude virar partner da Twitch, graças a Grow uP, que acreditou no meu potencial como streamer, mesmo que de tão longe. sou muito grata a vocês!
P: Tens conselhos para as pessoas que começaram a fazer streams agora?
R: Meu conselho pra quem quer começar a streamar e até pra quem já faz isso há algum tempo é: não desista! Vai ser difícil no começo, no meio e no fim. Sempre é difícil, mas você tem que ter garra e determinação para fazer com que isso dê realmente certo.
P: O que gostas mais na tua stream?
R: Na minha stream, o que eu mais gosto é o meu público no geral. Quero dizer, viramos uma família, conheci alguns dos meus inscritos pessoalmente e isso é a parte mais incrível disso tudo, poder ter amigos de todo o lugar do mundo.

P: Como apareceu a stream da Tia Raquel (mãe da Reeh)?
R: Minha mãe sempre me assistiu, desde o início. Até mesmo quando eu não fazia streams, ela já me via jogar. Até que um dia, ela teve a curiosidade de jogar e ver como era aquele jogo de tiro que eu sempre joguei. Foi aí que eu resolvi colocar ela na live pra jogar e foi super engraçado.
P: Tendo o apoio que tens da tua mãe, sentes que tens extra motivação em relação aos outros streamers?
R: Acredito que sim. Ter o apoio dos pais é essencial em qualquer carreira, pois facilita o crescimento pessoal dentro daquilo que você quer fazer. Acredito que tenho bastante sorte por isso.

P: Fazer stream ajudou-te a nível pessoal, emocional e/ou profissional?
R: Fazer streams me ajuda em todos os sentidos, mas principalmente emocional. É muito bom, como eu disse, poder fazer amigos de qualquer lugar. Eu sempre fui uma pessoa com poucos amigos, e isso me facilitou muito. Em nível pessoal, me ajudou também na timidez, na qual, eu tinha muito. Já em nível profissional, eu consegui algumas parcerias e acredito que ainda possa me ajudar muito mais, pois é um mercado que cada vez cresce mais e mais.
P: Quais os aspectos negativos e positivos de ser streamer?
A: Os aspectos negativos de ser streamer e mulher, principalmente é, tudo que a gente faz é criticado: se jogamos bem, estamos trapaceando. Se jogamos mal, é porque somos ruins. E ainda tem quem implique com as roupas, pois algumas mulheres gostam de usar decotes e isso também é fortemente criticado. Mas num quesito geral, sempre tem algum hater pra tentar te colocar pra baixo.
Agora os aspectos positivos são muito maiores que os negativos: pessoas a te elogiar, a gostar do teu estilo de jogo, às vezes a compartilhar de seus problemas para tentarmos o ajudar, a fazer você rir e se divertir e, principalmente, poder ter a sua família (que eu chamo de reehaleza hahaha)

P: Qual o teu objectivo como streamer a longo prazo?
R: Meu objetivo a longo prazo é poder viver de stream, ter minha casa e até conseguir retribuir todo o apoio que minha mãe sempre me deu. Poder fechar parcerias grandes com marcas voltadas ao e-sports, marcas com empreendedoras mulheres também.
P: Além da Twitch, onde mais te podemos encontrar?
R: Vocês podem me encontrar em:
Twitter
Instagram
YouTube
Facebook
Gostaríamos de agradecer à Reeh pelo tempo ,e por nos dar a conhecer melhor a sua stream, deixando também um obrigado especial a Tia Raquel, pelo todo apoio que dá todos os dias à sua filha. Esperemos que a Reeh continue a crescer cada vez mais, e que por cá continue muitos anos. O maior sucesso para tudo.