A streamer entrevistada no mês de Abril foi a Leya the Insane, que começou a streamar em Janeiro de 2017, no entanto, após dois meses, teve de fazer uma pausa, pois o seu computador não estava a aguentar. Em Junho do mesmo ano, a Leya comprou computador novo e começou a streamar regularmente. Fica aqui a entrevista realizada, para que fiques a conhecê-la melhor.

uP – De onde vem o teu nickname?
Leya – Então, em 2009 fui a um festival que, na altura, ainda era Optimus Alive e eles andavam a dar uns lenços cor-de-laranja para as pessoas meterem na cabeça para se protegerem do sol. A minha amiga pegou no meu lenço e colocou-mo na cabeça a fazer o penteado da princesa Leia do Star Wars. Durante o dia, participámos nalguns jogos. O apresentador, quando nos estava a apresentar, perguntou quem é que eu era e perguntou se eu era a princesa Leia. Pronto, a partir daí esse foi o nickname que fui usando sempre para me registar em qualquer tipo de jogo. Foi assim que surgiu a parte Leya do meu nome Leya the Insane. “The Insane” vem de um título que existe no World of Warcraft, que é bastante difícil de obter, muito time consuming, muito difícil, então, quando finalmente consegui ter aquilo, meti e nunca mais o tirei. Então, no Twitch meti LeyaTheInsane para nick, que é o que me aparece no jogo: Leya, the Insane.

uP – O que te levou a ligar a stream?
Leya – Inicialmente, em Janeiro ainda, um dos nossos amigos teve a guardar umas caixas no jogo, para quando saísse um patch ele abria as caixas todas e tinha mais chances de abrir um lendário. Ele disse que ia streamar isso, para abrir as caixas todas em stream e para nós vermos os lendários todos que ele ia ganhar. Ele estava a falar nisso a perguntar qual era o programa que ele ia usar e como é que se fazia e eu comecei a pesquisar ao mesmo tempo que ele ia falando e fiquei interessada na coisa, fiquei “humm se calhar também gostava de experimentar isso”. No dia seguinte, estava de folga e então, configurei o OBS todo e, nesse dia à noite, strea mei a minha primeira raid de WoW.

uP – Tens algum momento que te tenha marcado em stream, um host grande por exemplo?
[Leya pensativa]
uP – Algo que te desse um boom durante alguma fase? Porque eu suponho que começaste com pouca gente a ver-te, ou não?
Leya – Por acaso, logo no primeiro dia, a minha stream foi vista por bastante gente, porque apareceu uma guild que era, ainda é, a guild topo do server, e basicamente a guild esteve toda a ver a minha stream, por causa da minha classe e spec, e porque era uma menina.

uP – Por seres menina e teres essa classe?
Leya – Classe e spec. Exactamente, então logo no primeiro dia foi logo assim qualquer coisa de especial. Não estava nada à espera que aquilo acontecesse, mas foi muito giro. E depois, matámos bosses novos, fizémos progresso, o que foi ainda melhor. Foi a primeira stream, e foi a coisa mais fixe do mundo. Pronto, há pessoas que no primeiro dia as coisas não correm tão bem, para mim correu espetacularmente e eu adorei. E a partir daí disse “epa, quero continuar a fazer isto”.

uP – Então, achas que esse foi o melhor momento que tiveste, ou tiveste melhor?
Leya – Sim, acho que o primeiro dia de stream foi mesmo o melhor. Tenho tido a ajuda de muita gente. Pessoas que me vão dando ideias, pessoas que me vão dando suporte monetário, donations, subscrições. Pessoas mesmo espectaculares. Por isso, cada vez que recebo uma donation ou um sub ou assim, é sempre um momento especial para mim. Também o facto de o Mujah me ter convidado para ir ao programa dele. A partir daí tive mais alguma visibilidade.

uP – Gostavas de fazer streams full time?
Leya – Eu gostava, sim!

uP – E achas que estás perto de atingir esse objectivo?
Leya – Nããão, não, não, não.
Leya – Eu neste momento estou a fazer isto em conjunto com um trabalho part-time. Ou seja, tenho 50-50 faço stream e depois part-time. Não consigo ter um [emprego] full-time mesmo por causa da stream e fui procurar um part-time de propósito para poder streamar.

uP – Qual é a parte preferida da tua stream?
Leya – Eu gosto muito daqueles tempinhos que eu tenho quando vou falando com as pessoas, quando me concentro mais em falar com o chat, com os viewers, é sempre fixe. Não tanto a parte que estou a tentar concentrar-me no jogo. É mais a parte em que tenho um intervalo e consigo ler e falar com as pessoas. É fixe. Acho que é a melhor parte da stream.

uP – Costumas fazer IRL? Focar-te no chat, sem jogo por trás?
Leya – Não. Normalmente, aquilo que eu faço é: começo a stream com um bocadinho do jogo e depois no final falo mesmo só com os viewers. Desligo o jogo e estou para lá um bocadinho na conversa.

uP – Qual foi o teu pior momento em stream?
Leya – Acho que até agora não tive assim nada, nenhum momento particularmente mau. Epa, de vez em quando aparecem, o que é muito raro, muito raro mesmo acontecer, mas já aconteceu aparecer uma pessoa ou outra que são um bocado mal educadas ou desrespeitosas. Mas pronto, uma pessoa acaba por ignorar ou dar um banzinho. Às vezes ainda respondo. Ah! Houve uma vez, mas isso não foi um momento mau, foi um momento bastante engraçado até. Eu estava a streamar e estava a fazer umas quests no jogo. E houve um senhor que foi atrás de mim de propósito para me matar várias vezes, simplesmente porque eu estava a streamar. Porque era rapariga e estava a streamar.

uP – Ele encontrou-te e andava atrás de ti.
Leya – Exactamente! Andou atrás de mim para me matar. E, nessa altura, outras pessoas que estavam a ver a stream foram ter comigo, para me ajudar a matar o senhor. Era ele e mais um. Então eu tive uma ajuda espectacular para aí de, epa não sei, éramos no todo se calhar uns 10. E depois estávamos sempre a matar aqueles senhores. Porque eles insistiam em vir atrás de nós para me matar e nós sempre a matá-los a eles. E aquele senhor ficou muito muito chateado. Chamou-me bastantes nomes, mas eu gostei bastante, foi muito giro.

uP – E já te aconteceu, por exemplo, teres um troll que entra como troll e acaba por ficar na tua stream?
Leya – Sim, também já. Tive aí uns amigos brasileiros, há uns meses, que entraram como trolls para ver se eu me chateava com eles, das coisas que eles estavam a dizer. Eles depois viram que eu não me chateava e entrava na brincadeira com eles. Depois acabaram por frequentar um bocadinho mais a stream de maneira saudável, digamos assim.

Sigam a Leya nas suas redes sociais!
Facebook 
Instagram  
YouTube com vídeos às terças e sextas às 21h30